Arquivo da Categoria ‘Sem categoria’

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Vamos ao Cinema? Estreiam nas telonas (26/Abril)

sexta-feira, 26 de abril de 2013

“HOMEM DE FERRO 3″
Título original: Iron Man 3
Gênero: Aventura, Ação, Ficção Científica
Duração: 130 min.
Origem: Estados Unidos, China
Estreia: 26/04/2013
Direção: Shane Black
Roteiro: Drew Pearce, Shane Black
Distribuidora: Walt Disney Pictures
Censura: 12 anos
Ano: 2013

Homem de Ferro 3 coloca Tony Stark/Homem de Ferro contra um inimigo sem limites. Quando Stark tem sua vida pessoal destruída, ele embarca em uma angustiante busca pelo responsável. Nessa jornada, a cada nova etapa, sua coragem será testada. Sem saída, Stark precisa sobreviver com seus próprios recursos, confiando na sua engenhosidade e instintos para proteger as pessoas próximas a ele. No contra-ataque, descobre a resposta para a pergunta que secretamente o atormentava: o homem faz a armadura ou a armadura faz o homem?

“2 DIAS EM NOVA YORK”
Título original: 2 Days in New York
Gênero: Comédia
Duração: 96 min.
Origem: Alemanha, França, Bélgica
Estreia: 26/04/2013
Direção: Julie Delpy
Roteiro: Alexia Landeau, Julie Delpy
Distribuidora: Califórnia Filmes
Censura: 14 anos

O jornalista e famoso apresentador de um programa de rádio Mingus (Chris Rock) e sua namorada francesa, a fotógrafa Marion (Julie Delpy), vivem confortavelmente num apartamento em Nova York com um gato e dois filhos de relacionamentos anteriores. Porém, quando o animado pai de Marion (interpretado pelo pai de Julie Delpy na vida real, Albert Delpy), sua irmã fogosa, juntamente com seu namorado ofensivo, aparecem sem avisar para uma visita internacional, começa uma confusão familiar que durará por dois dias inesquecíveis. Com franqueza sexual e muita extroversão, o trio não tem limites e ninguém passa despercebido por eles. Os visitantes provocam o casal em todos os quesitos, colocando seu relacionamento à prova.

“UM BOM PARTIDO”
Título original: Playing for Keeps
Gênero: Comédia, Drama, Esporte
Duração: 105 min.
Origem: Estados Unidos
Estreia: 26/04/2013
Direção: Gabriele Muccino
Roteiro: Robbie Fox
Distribuidora: Imagem Filmes
Censura: 12 anos
Ano: 2012

Quando George (Gerard Butler) recebe uma segunda chance para se aproximar de seu filho Lewis (Noah Lomax) ele percebe o quanto esteve ausente devido a sua carreira. Agora ele tentará reconstruir sua vida mas para isso precisa reconquistar sua ex-mulher Stacey (Jessica Biel) e mostrar que ele é de fato um bom partido.

“REALITY – A GRANDE ILUSÃO”
Título original: Reality
Gênero: Comédia, Drama
Duração: 115 min.
Origem: Itália, França
Estreia: 26/04/2013
Direção: Matteo Garrone
Roteiro: Massimo Gaudioso, Matteo Garrone, Maurizio Braucci, Ugo Chiti
Distribuidora: Europa Filmes
Censura: Livre
Ano: 2012

Luciano (Aniello Arena) é um peixeiro napolitano que complementa sua modesta renda aplicando pequenos golpes com sua esposa Maria (Loredana Simioli). Simpático e divertido, Luciano nunca perde uma oportunidade de se apresentar para seus clientes e inúmeros parentes. Um dia, encorajado por sua família, Luciano se inscreve num reality show italiano. Na busca desse sonho, sua percepção da realidade começa a mudar.

“O ABISMO PRATEADO”
Gênero: Drama
Duração: 83 min.
Origem: Brasil
Estreia: 26/04/2013
Direção: Karim Ainouz
Roteiro: Beatriz Bracher
Distribuidora: Vitrine Filmes
Censura: 14 anos
Ano: 2011

Violeta (Alessandra Negrini), 40 anos, dentista, casada, um filho adolescente, esta pronta para começar mais um dia em sua rotina, entre seu consultório e o seu novo apartamento em Copacabana. Ao receber uma mensagem desconcertante em seu celular, Violeta embarca em uma jornada pelas ruas do Rio de Janeiro até o nascer do sol.


“DEPOIS DE MAIO”
Título original: Après Mai
Gênero: Drama
Duração: 122 min.
Origem: França
Estreia: 26/04/2013
Direção: Olivier Assayas
Roteiro: Olivier Assayas
Distribuidora: Imovision
Censura: 16 anos
Ano: 2012

Região de Paris, início da década de 1970. Gilles é um jovem estudante imerso na atmosfera criativa e política da época. Como os seus colegas, ele está dividido entre o investimento radical na luta política e a realização de desejos pessoais. Entre descobertas amorosas e artísticas, sua busca o leva à Itália e ao Reino Unido, onde ele deverá tomar decisões essenciais ao resto de sua vida.

Frase do Dia: “Essa realmente está demais. Renan Calheiros ameaçando o Supremo? Será que esse meliante não lembra de que está sendo processado no próprio Supremo, denunciado pelo Ministério Público Federal pelos crimes de peculato (desvio de dinheiro público), falsidade ideológica e uso de documento falso? Que país é esse, gente???” (Carlos Newton, da Tribuna da Imprensa)

sexta-feira, 26 de abril de 2013

NOTA DO BLOG:

Declaração do presidente do senado, Renan Calheiros afirmando que vai recorrer da decisâo que barra votação de lei sobre novos partidos:

“O papel do Legislativo é zelar por sua competência. Da mesma forma que nunca influenciamos no Judiciário, não aceitamos que o Judiciário faça o mesmo. De modo que nós consideramos isso (a decisão do Supremo) uma invasão e vamos entrar com um agravo regimental que é, sobretudo, para dar uma oportunidade de o Supremo fazer uma revisão dos seus excessos”, afirmou Renan, na saída de uma reunião no seu gabinete com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). O agravo regimental tem por objetivo que os ministros, em plenário, revejam a liminar concedida por Gilmar Mendes.

Como diria Robin a Batman:

“-SANTO DESCARAMENTO !!!”

A NET AINDA NÃO SE DEU CONTA DE QUE ESSA HISTÓRIA DE “TIPO NET” JÁ “ENCHEU O SACO” DO TELESPECTADOR.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

“Musa” do juro baixo, CAMILA PITANGA desaparece das campanhas da Caixa. QUER SABER O MOTIVO? OS JUROS VÃO SUBIR !!! É, GOVERNO INCOMPETENTE DÁ NISSO !!! ESQUEÇA O QUE ELA DIZ NO COMERCIAL ABAIXO. ISSO TUDO É PASSADO (rsrsrs)

segunda-feira, 1 de abril de 2013

NOTA DO BLOG:

Só falta dizerem que o PLANO REAL é uma HERANÇA MALDITA recebida de FHC.

O fumo e a sobrevivência

segunda-feira, 11 de março de 2013

Para quem gosta de morrer mais cedo, o cigarro é arma de eficácia incomparável. Ele reduz de tal forma a duração da vida que nenhuma medida isolada de saúde pública tem tanto impacto na redução da mortalidade quanto parar de fumar.

Acaba de ser publicado o levantamento mais completo sobre os índices de mortalidade em fumantes e ex-fumantes. Os dados foram colhidos entre 113.752 mulheres e 88.496 homens, de 25 a 79 anos de idade, acompanhados durante 7 anos.

Em média, os fumantes consumiam mais álcool, tinham nível educacional mais baixo e índice de massa corpórea menor do que o dos ex-fumantes e daqueles que nunca fumaram.

Cerca de 2/3 dos que foram ou ainda são fumantes adquiriram a dependência antes dos 20 anos, dado que explica o esforço criminoso da publicidade dirigida para viciar crianças e adolescentes.

As curvas de mortalidade revelaram que:

1 – Continuar fumando encurta 11 anos na vida de uma mulher e 12 anos na vida do homem.

2 – Comparado com os que nunca fumaram, o risco de morte de um fumante é três vezes maior. Mulheres correm riscos iguais aos dos homens, confirmando o adágio:  

“Mulher que fuma como homem, morre como homem”.

3 – Uma pessoa que nunca fumou tem duas vezes mais chance de chegar aos 80 anos. Na mulher de hoje, a probabilidade de sobreviver até essa idade é de 70%, número que cai para 38% nas fumantes. Nos homens esses valores são de 61% e 26%, respectivamente.

4 – A diferença de sobrevida é explicada pela incidência mais alta de câncer, doenças cardiovasculares, doenças pulmonares obstrutivo-crônicas (como o enfisema) e outras enfermidades provocadas pelo fumo. As causas de morte mais frequentes são câncer de pulmão, infarto do miocárdio e derrame cerebral.

5 – Na faixa de 25 a 79 anos de idade, cerca de 60% de todas as mortes são causadas pelo cigarro.

6 – O risco de desenvolver doenças pulmonares obstrutivo-crônicas nas mulheres que fumam é 22 vezes mais alto; nos homens é 25 vezes maior.

Foi analisado também o impacto de parar de fumar na redução da mortalidade.

1 – Quanto mais cedo alguém deixa de fumar, mais tempo vive.

2 – As curvas de sobrevida dos que se livraram do cigarro entre os 25 e os 34 anos de idade são praticamente idênticas às dos que jamais fumaram. Parar nessa faixa etária faz ganhar pelo menos 10 anos de vida.

3 – As curvas dos que pararam dos 35 aos 44 anos são um pouco mais desfavoráveis. Ainda assim, largar de fumar nessa fase permite viver nove anos mais.

4 – Comparados com os que nunca fumaram, ex-fumantes que pararam ao redor dos 39 anos ainda apresentam mortalidade 20% mais alta. Embora significante, esse número é pequeno em relação ao risco 200% maior que correriam se continuassem fumando.

5 – Parar de fumar dos 45 aos 54 anos reduz 2/3 da mortalidade geral e faz ganhar em média seis anos de vida. Os que o fazem entre 55 e 64 anos vivem em média quatro anos mais.

6 – O câncer de pulmão está associado ao maior risco de morte entre os ex-fumantes.

O fato de nas últimas décadas os fumantes terem aderido em massa aos assim chamados cigarros de baixos teores não alterou em nada a mortalidade.

No caso das doenças pulmonares obstrutivas, que evoluem com falta de ar progressiva, foi até pior: a incidência mais do que duplicou desde a década de 1980.

A explicação se deve às mudanças que a indústria introduziu na produção de cigarros: o uso de variedades de fumo geneticamente selecionadas para reduzir o pH da fumaça, o emprego de papel mais poroso e filtros com mais perfurações, tornaram menos aversivas, mais profundas e prolongadas as inalações, expondo aos efeitos tóxicos grandes extensões do tecido pulmonar.

Como o cigarro perde espaço no mundo industrializado, e em países como o Brasil, as multinacionais têm agido com agressividade nos mercados asiáticos e africanos, valendo-se da falta de instrução das populações mais pobres e da legislação frouxa que permite a publicidade predatória.

Os epidemiologistas estimam que essa estratégia macabra fará o número de mortes causadas pelo cigarro –que foi de 100 milhões no século 20– saltar para 1 bilhão no século atual.

por Drauzio Varella – médico cancerologista. Por 20 anos dirigiu o serviço de Imunologia do Hospital do Câncer.

A bela velhice

sexta-feira, 1 de março de 2013

No livro “A Velhice”, Simone de Beauvoir (foto ao lado), após descrever o dramático quadro do processo de envelhecimento, aponta um possível caminho para a construção de uma “bela velhice”: ter um projeto de vida.

No Brasil, temos vários exemplos de “belos velhos”: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Ney Matogrosso, Chico Buarque, Marieta Severo, Rita Lee, entre outros.

Duvido que alguém consiga enxergar neles, que já chegaram ou estão chegando aos 70 anos, um retrato negativo do envelhecimento. São típicos exemplos de pessoas chamadas “ageless” ou sem idade.

Fazem parte de uma geração que não aceitará o imperativo: “Seja um velho!” ou qualquer outro rótulo que sempre contestaram.

São de uma geração que transformou comportamentos e valores de homens e mulheres, que tornou a sexualidade mais livre e prazerosa, que inventou diferentes arranjos amorosos e conjugais, que legitimou novas formas de família e que ampliou as possibilidades de ser mãe, pai, avô e avó.

Esses “belos velhos” inventaram um lugar especial no mundo e se reinventam permanentemente.

Continuam cantando, dançando, criando, amando, brincando, trabalhando, transgredindo tabus etc. Não se aposentaram de si mesmos, recusaram as regras que os obrigariam a se comportarem como velhos. Não se tornaram invisíveis, apagados, infelizes, doentes, deprimidos.

Eles, como tantos outros “belos velhos” que tenho pesquisado, estão rejeitando os estereótipos e criando novas possibilidades e significados para o envelhecimento.

Em 2011, após assistir quatro vezes ao mesmo show de Paul McCartney (abaixo), perguntei a um amigo de 72 anos: “Por que ele, aos 69 anos, faz um show de quase três horas, cantando, tocando e dançando sem parar, se o público ficaria satisfeito se ele fizesse um show de uma hora?”. Ele respondeu sorrindo:

“Porque ele tem tesão no que faz”.

O título do meu livro “Coroas” é uma forma de militância lúdica na luta contra os preconceitos que cercam o envelhecimento. Tenho investido em revelar aspectos positivos e belos da velhice, sem deixar de discutir os aspectos negativos.

Como diz a música de Arnaldo Antunes, “Que preto, que branco, que índio o quê?/Somos o que somos: inclassificáveis”. Acredito que podemos ousar um pouco mais e cantar: “Que jovem, que adulto, que velho o quê?/ Somos o que somos: inclassificáveis”.

por MIRIAN GOLDENBERG - Antropóloga, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e autora de “Corpo, Envelhecimento e Felicidade” (Ed. Civilização Brasileira)

BRASIL TEM UM ADVOGADO PARA CADA 256 HABITANTES. SE CONTINUAR ASSIM, LOGO, LOGO, CADA BRASILEIRO TERÁ O SEU PRÓPRIO ADVOGADO. (rsrsrsrs) PROFISSIONAIS NA ÁREA JÁ SOMAM 754.685 EM TODO O PAÍS, SEGUNDO INFORMAÇÃO DA OAB.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

NOTA DO BLOG:

Que bom seria se esse número fosse de médicos COMPETENTES.