Arquivo da Categoria ‘Culinária e Gastronomia’

Como resolver a compulsão a chocolate?

quinta-feira, 21 de março de 2013

Aos poucos, troque o chocolate ao leite pela versão com cacau extra (acima de 70%) – tem sabor intenso e, por isso, satisfaz com menos.

Vários estudos mostram que 30 gramas por dia são suficientes também para sossegar a fome.

Aposte ainda na amêndoa. “Por ter cromo, essa oleaginosa equilibra os níveis de açúcar no sangue, diminuindo a compulsão por doce em geral”, diz Marcella Amar, nutricionista da Clínica Heloísa Rocha, no Rio de Janeiro.

Outra estratégia é consumir proteína magra (atum light, peito de peru). “É um nutriente que estimula a produção de serotonina, o neurotransmissor do bem-estar.” E isso também deixa você mais resistente ao chocolate.

Fonte: Boa Forma

A PROTESTE adverte: pense bem antes de comer fora

quinta-feira, 21 de março de 2013

A praticidade dos chamados restaurantes a quilo, que oferecem cardápios variados – e permitindo a você compor a refeição de acordo com sua preferência, é motivo para total atenção. Pelo menos na cidade de São Paulo. Em nosso estudo com 30 restaurantes dos seis maiores shopping centers da capital paulista, nada menos que 28 foram reprovados por apresentarem condições inadequadas de higiene.

O resultado desse novo estudo reflete um antigo problema. Em 2009, quando avaliamos a qualidade higiênico-sanitária dos utensílios (prato, talheres e bandejas) utilizados nos restaurantes a quilo dos principais shoppings de São Paulo, detectamos irregularidades em 21 dos 30 restaurantes analisados. Nesse novo estudo, concluímos que a origem do problema está na falta de cuidados no preparo dos alimentos.

Amostras continham coliformesComo clientes comuns, compramos arroz, saladas de folhas verdes cruas e salada a base de maionese ou iogurte ou misturada (salpicão, maionese ou tabule) para avaliar a qualidade microbiológica. Encontramos mais problemas nos dois tipos de saladas avaliadas do que no arroz. A contaminação das verduras utilizadas pode ter ocorrido na própria área de cultivo e a higienização inadequada por parte dos restaurantes pode ter colaborado. No caso do arroz, é bem provável que, devido ao cozimento prévio, a contaminaçãocrobiológica. bacteriana tenha sido reduzida no alimento. No entanto, mesmo após esse processo, ainda encontramos contaminação por Bacillus cereus acima do permitido pela legislação em dois restaurantes.

Na contaminação por coliformes fecais, os três tipos de alimentos apresentaram problemas.

A salada crua apresentou mais contaminação que a salada preparada com legumes cozidos e maionese ou algum tipo de molho.

COVISA analisou restaurantes

Coordenação de Vigilância em Saúde de São Paulo encontrou contaminação em arroz e saladas verdes e de maionese.O Laboratório de Controle de Qualidade em Saúde da Prefeitura de São Paulo realizou análises laboratoriais nas amostras de alimentos (arroz, salada verde e salada de maionese ou similar), coletadas durante vistoria sanitária realizada nos restaurantes instalados em shoppings centers. As vistorias e coletas de amostras foram realizadas entre 14 e 17 de fevereiro de 2011 pelas equipes da COVISA (nível central) e das Supervisões de Vigilância em Saúde (SUVIS) de Santo Amaro, Vila Mariana e Vila Prudente.

Foi utilizada a legislação vigente, Portaria RDC 12 /2001, para enquadramento das análises efetuadas.

As amostras foram coletadas dos balcões de distribuição, sendo embaladas e encaminhadas ao Laboratório Central em caixas térmicas.

Resultados das análises

Arroz – foram coletadas 30 amostras. Seis apresentaram resultados insatisfatórios. Em cinco amostras foram encontrados coliformes a 45° acima do limite permitido, em quatro amostras presença de E. coli , em uma amostra presença de B. cereus e em 1 amostra presença de Staphylococcus

Salada de Maionese – foram coletadas 30 amostras, sendo que 11 apresentaram resultados insatisfatórios. Em 11 amostras foram encontrados coliformes a 45° acima do limite permitido. Em cinco amostras houve presença de E.coli.

Salada verde – das 30 amostras, 12 apresentaram resultados insatisfatórios. Nelas foram encontrados coliformes a 45° acima do limite permitido, enquanto oito amostras continham E.coli.

NOTA DO BLOG:

Portanto,  NUNCA SE ESQUEÇA, saladas em geral só devem ser consumidas na sua casa, onde a sua mãe ou a sua esposa vão sempre ter o cuidado de higienizar rigorosamente os diferentes vegetais.

Você consegue imaginar alguém num RESTAURANTE, numa LANCHONETE,   lavando a alface, FOLHA por FOLHA, como fazem a sua mãe ou a sua esposa? Não, não é verdade? Portanto…

Eu, particularmente, faço restrições aos restaurantes onde as próprias pessoas se servem, pois ficam debruçadas sobre os alimentos, conversando, tossindo, etc. A gente acaba comendo uma verdadeira salada mista, não é verdade? ARGH!!!

Cozinha para principiantes: arroz de “cozinheira preguiçosa”

quinta-feira, 21 de março de 2013

*Lave bem o arroz.

*Para CADA xicara de arroz, vai uma colher de sobremesa de cebola ralada, uma colher de sopa de óleo ou manteiga,uma colher de sopa de cachaça (opcional)  e sal a vontade.

*Coloque tudo junto numa panela, ANTES de levar ao fogo.

*Nada de perder tempo refogando o arroz.

*Junte a água em quantidade que dê para ficar acima do nível do arroz, uns dois centímetros.

*Deixe no fogo forte, a panela tampada, até a água chegar ao nível do arroz.

*Abaixe o fogo e preste atenção.

*Se for necessário, vá pingando mais água, até cozinhar no ponto que você prefere.

*O arroz fica supersoltinho.

*Apenas uma observação: no caso de três ou mais xícaras de arroz, diminua a quantidade da cachaça.

*Se não gostar da idéia, pode omitir a cachaça completamente.

É FÁCIL e RÁPIDO…BOM APETITE!

Que tal tomar um café feito a partir de grãos retirados das fezes? EU EXPLICO! O exótico café JACU BIRD, feito a partir de grãos retirados das fezes da ave Jacu é produzido na fazenda Camocim, no Espírito Santo. Um pacote com 250 gramas chega a ser vendido em São Paulo pela bagatela de R$ 150,00. CAFEZINHO CARO, HEIN!?

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

JACU (Penelope purpurascens)

NOTA DO BLOG:

O Jacu Bird é um café orgânico e biodinâmico, cujos grãos são selecionados pela ave jacu (Penelope purpurascens), espécie nativa da Mata Atlântica.

A produção do Jacu Coffee é feita na Fazenda Camocim, nas montanhas do Espírito Santo, onde existe uma vasta população de jacu.

A ave se alimenta dos frutos do café e, após a digestão, elimina os grãos ao pé das árvores. Depois de colhidos manualmente, limpos e guardados, os grãos dão origem a um café natural de rara qualidade.

Dez benefícios da chia para a saúde

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Início de ano, para muitos, é sinônimo de começo de dieta. Emagrecer, afinal, está quase sempre entre as grandes metas de réveillon. Isso faz com que alguns alimentos que prometem facilitar esse objetivo sejam mais procurados. A chia é um deles.

Originário do México e Colômbia, o grão da chia (Salvia hispânica L.) já fazia parte do cardápio dos nossos ancestrais há alguns séculos, sendo reconhecido como um excelente alimento. É fonte de proteínas, fibras dietéticas, ácidos graxos (ômega 3 e 6), vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina, niacina) e minerais (cálcio, fósforo, magnésio, zinco, potássio e cobre).

Pelo excelente conteúdo nutricional, a chia ganhou a atenção de pesquisadores do mundo inteiro. Assim que chegou ao Brasil, entrou na dieta das pessoas que se preocupam com a boa forma física e a perda de peso. Outras propriedades do grão, porém, merecem ser destacadas. Conheça alguns dos seus benefícios:

1 – Tem ação anti-inflamatória, porque  o  grão fornece o ômega 3 (ácido linolênico), que tem a propriedade de combater a inflamação do organismo. Um estudo realizado por AYERZA, R e COATES W, publicado na revista Annals of Nutrition and Metabolism em 2007 , mostrou que a dieta contendo chia, tanto na forma de grão como na forma de óleo, foi capaz de aumentar os níveis plasmáticos de ácidos graxos ômega 3.

2 – Tem compostos bioativos com forte ação antioxidante, combatendo a ação dos radicais livres que levam ao envelhecimento precoce e também resultam no desenvolvimento de algumas doenças.

3 – Contribui com o controle do diabetes, graças ao alto teor de fibras, o que ajuda a melhorar a sensibilidade ao hormônio insulina, melhorando a glicemia pós prandial (pós refeição). As fibras tornam mais lenta a absorção dos açúcares pelo intestino, o que ajuda e muito a manter a glicemia (açúcar no sangue) controlada. CHICCO,A. e colaboradores, em 2009, publicaram na revista British Journal of Nutrition um estudo que concluiu que uma dieta incluindo o grão de chia influencia positivamente na melhora da resistência à insulina, o que é fundamental para o bom controle do diabetes.

4 – É grande aliada nas dietas de emagrecimento ou na manutenção do peso ideal, por ser fonte de fibras solúveis que formam um composto gelatinoso  no estômago, tornando a digestão mais lenta e  resultando num aumento de saciedade. Isso favorece uma melhor seleção dos alimentos nas refeições seguintes, bem como redução nas quantidades, uma vez que reduz apetite.

5 – Pode ser um alimento coadjuvante na redução do risco de doenças  cardiovasculares, diabetes, dislipidemia em indivíduos que apresentam sobrepeso, isso também por melhorar a resistência à insulina e perfil lipídico. Os indivíduos obesos ou que apresentam sobrepeso já tem fator de risco para o desenvolvimento de diabetes e doenças cardiovasculares. Em março de 2011, na revista Journal of Nutritional Biochemistry, pesquisadores concluíram que o grão de chia introduzido na alimentação dos animais analisados melhorou a sensibilidade à insulina, reduziu a gordura visceral, o que já é fator de proteção para doenças cardiovasculares.

6 – Combate a constipação, ajudando com a boa saúde intestinal, isso também pela quantidade de fibras que fornece.

7 – O consumo do grão favorece também o controle da pressão arterial, porque o ômega 3  presente tem efeito anti-hipertensivo.

8 – A presença do ômega 3 também faz com que a chia seja um bom alimento para a saúde cerebral, já que esses ácidos graxos poli-insaturados são componentes da estrutura das células nervosas, podendo também melhorar a memória, reduzir a ansiedade e depressão.

9 – Ajuda a melhorar a resistência e rendimento de atletas, além da recuperação muscular no pós treino, isso por causa da presença de proteínas vegetais, ômega 3 e também a presença de minerais que são perdidos pelo suor.

10 – É um poderoso alimento para incluir nas dietas de vegetarianos, por ser  fonte de proteínas vegetais. A qualidade da proteína é excelente, contendo muitos aminoácidos essenciais.

Como incluir na alimentação

É possível encontrar a chia em diferentes formas:

Grãos (sementes ao natural): Preserva as propriedades nutricionais mais intactas. Pode-se incluir em sopas, bolos, saladas, polvilhar em cereais, iogurtes, frutas e até adicionar em bebidas (sucos ou água).

Óleo: Os ácidos graxos ômega 3 e 6 são preservados, no entanto o teor de fibras fica comprometido. É uma alternativa para temperar a salada ou colocar na sopa.

Farinha: É o produto final da moagem do grão da chia, fonte de ômega 3, fibras e proteínas.

É possível ainda encontrar chia em de flocos e em cápsulas.

É importante enfatizar que a chia deve fazer parte de uma dieta nutricionalmente variada e equilibrada, para que seja possível colher os seus benefícios para a saúde. Como todo alimento, é recomendado que o seu consumo seja parte de um rodízio, no qual haja variação com outras fontes de grãos e sementes.

por Eneida Ramos, nutricionista

Dores musculares? Coma gengibre.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

A propriedade do gengibre de acalmar o estômago é bem conhecida. Mais recentemente, porém, cientistas se perguntaram se os efeitos tranquilizadores também se estenderiam a dores musculares.

O gengibre, membro da mesma família do açafrão, contém compostos anti-inflamatórios e óleos voláteis –o óleo de gengibre– que mostram efeitos analgésicos e sedativos em estudos com animais. Assim, no ano passado, uma equipe de pesquisadores testou se o gengibre poderia fazer o mesmo em seres humanos.

No estudo, publicado em “The Journal of Pain”, os cientistas recrutaram 74 adultos e os colocaram para fazer exercícios que supostamente causariam dores e inflamações musculares. Durante 11 dias, os participantes comiam, diariamente, dois gramas de gengibre ou um placebo. No final, os grupos do gengibre mostraram reduções de 25% nas dores musculares, passadas 24 horas dos exercícios.

Num estudo duplo-cego parecido, cientistas compararam o que acontecia quando os participantes comiam dois gramas de gengibre ou um placebo, um dia depois do exercício, e em seguida, dois dias depois. O gengibre parecia não surtir efeito logo após a ingestão. Mas pôde ser associado a uma redução na dor no dia seguinte, levando os pesquisadores a concluir que o gengibre pode ajudar a “atenuar a progressão diária da dor muscular”.

Outros estudos mostraram que consumir gengibre antes de se exercitar não traz impacto sobre dor muscular, consumo de oxigênio e outras variáveis fisiológicas durante, ou imediatamente após uma sessão de exercícios. Isso sugere que, se o gengibre gera quaisquer benefícios, eles devem se limitar a reduções das dores nos dias após os exercícios.

A conclusão: O gengibre pode ajudar a aliviar as dores, mas apenas um dia ou mais depois dos exercícios.

Um substituto para o sal

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Meu amigo, minha amiga, você como eu é daquelas pessoas que ao sentar-se à mesa,  já procura o saleiro?

O hábito de adicionar sal em excesso aos alimentos é um dos mais difíceis de ser eliminado.

Para a maioria das pessoas, hipertensas ou não, diminuir o sal da alimentação chega a ser um sacrifício.

A reclamação mais comum é que a comida fica sem sabor, ou que os substitutos até hoje disponíveis deixam os alimentos amargos.

Não há necessidade de eliminá-lo totalmente, basta apenas acostumar-se a consumir duas colheres de café ao dia ou utilizar os sais preparados com menos cloreto de sódio para ter mais saúde.

Um novo sal, fabricado na Escócia, substitui plenamente o sal comum, com o mesmo sabor e qualidade, porém com 66% de sódio a menos, o que aumenta sensivelmente o grau de adesão do paciente à dieta prescrita.

Vale lembrar que o sódio presente no sal de cozinha é o único elemento encontrado na alimentação humana que, ingerido em excesso, tem como resultado o aumento da pressão arterial.

Você sabe QUANDO comer frutas?

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A resposta é simples. Você deve comer frutas de preferência com o estômago VAZIO! Sim, com o estômago vazio! Com certeza você, após uma lauta refeição,  comeu alguma fruta de sobremesa e passou o resto do dia ou da noite, arrotando aquele desconfortável sabor. Sabe o motivo? A razão é que as frutas não são, em princípio, digeridas no estômago. Elas são digeridas no intestino delgado. Se no estômago, houver carne, batatas, arroz, feijão, as frutas lá ficam retidas, não sofrem digestão e começam a fermentar.

Falando em frutas, dê preferências às frutas e sucos frescos. Sucos de latas ou em garrafas de vidro, geralmente são aquecidos no processo de vedação e tornam-se ácidos.