Arquivo de agosto de 2010

Carta de Lula para Collor em 2060

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Querido Fernando,

Como vai a morte aí embaixo? Rosane já se acostumou com o clima? Se tiver qualquer dificuldade é só me dizer. Tenho vários amigos morando na sua vizinhança. Eles me devem favores, não hesitarão em atender a um pedido meu, principalmente agora que inicío minha trajetória política aqui em cima.

Uma coisa posso te garantir: nunca antes na história do Paraíso um operário esteve tão próximo do poder. Na semana passada, organizei a primeira grande greve do sindicato dos santos. Foi um sucesso. Paramos todos os milagres, ninguém atendeu a uma oração sequer. A imprensa estava toda lá. O exército de arcanjos cercou o estádio, mas nós ficamos unidos.

O Feancisco de Assis, que é um líder da bancada da oposição, já me convidou pra fundar um novo partido junto com uns intelectuais de esquerda. O ditador aqui é muito poderoso, vive baixando decretos que Ele chama de mandamentos. Mas logo vamos restabelecer a democracia e acabar com a corrupção e o nepotismo.

É verdade que tem um pelego de nome Pedro que anda me boicotando. O cara tem medo de perder o lugar, coitado. Não sabe que a  minha meta é ser chefe dele. Não tenho qualquer interesse no posto de intermediário. Estou pensando em oferecer a vaga de vice pra ver se ele para de me encher o saco.

Nos últimos dias tenho pensado muito em você. Se estou aqui em cima é porque exercitei a virtude do perdão contigo. Se não fosse por aqueles acordos que fizemos em 2009, quando subi no teu palanque em Alagoas junto com o Renanzinho, não teria conseguido o visto para entrar no Paraíso. Obrigado, companheiro. Obrigado por me deixar perdoá-lo.

Tem visto o Sarney por ai? É outro a quem devo o meu lugar nestas nuvens abençoadas. Assim como te perdoei por ter exposto a minha filha fora do casamento na campanha de 1989, também perdoei o José por me transformar em seu avalista político durante o escândalo dos atos secretos no senado. Ele não é uma pessoa comum, merece toda a minha reverência. Vê se arruma uma boquinha pros parentes que forem chegando por essas bandas. O homem precisa.

O Franklin Martins está aqui do meu lado, corrigindo o que eu escrevo. Como não deixaram o Duda Mendonça entrar, é ele que cuida de tudo. O japa também foi barrado, assim como o Dirceu e o Palocci. Ainda não entendi por quê. Deve ser coisa desse tal de Pedro. Tenho certeza que o cara é agente do SNI, mas a Dilma e o Suplicy acham que ele é tucano mesmo. Já o viram cochichando com o FHC e o Serra em um jogo de tranca na casa do São Judas Tadeu.

Na semana que vem, vamos fazer um churrasco numa granja que o sindicato comprou ao lado dos Portões do Éden. A vista é uma beleza, mas você ia babar é com os jardins, que deixam a Casa da Dinda no chinelo. A construtora que fez a obra pertence a um sujeito que veio lá do Vaticano, um alemão de nome estranho cujo passatempo preferido é contar piadas antissemitas.

Só não te convido porque sei que a polícia federal não te deixaria entrar. Mas quem sabe eu vá te visitar um dia desses para comer uma pizza junto com o Renan, o Maluf, o Jáder, o ACM, o Cafeteira e outros companheiros queridos de quem sinto tantas saudades. Sei que o forno aí embaixo é muito bom e os pizzaiolos são os melhores do universo.

Um abraço de paz e amor

Luis Inácio

Autoria: Felipe Pena, jornalista, escritor e professor da Universidade Federal Fluminense. Doutor em Literatura pela PUC e autor do romance “O analfabeto que passou no vestibular”.

A roupa de Gandhi

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

O Mahatma Gandhi provou que “a roupa não faz o homem”.

Ele só usava uma tanga a fim de se identificar com as massas simples da Índia.

Certa vez, ele chegou assim vestido numa festa dada pelo governador inglês. Os criados não o deixaram entrar.

Ele voltou para casa e enviou um pacote ao governador, por um mensageiro. Dentro havia um terno completo: calça, colete e paletó.

O governador ligou para a casa dele e perguntou o significado do embrulho. O grande homem, respondeu:

“-Fui convidado para a sua festa, mas não me permitiram entrar por causa da minha roupa. Se é a roupa que vale, eu lhe enviei o meu terno”.

Dinheiro limpo

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Os suiços querem tudo extremamente limpo em sua terra: montanhas cobertas de neve, lagos cintilantes, cidades de casinhas de boneca.  A mesma preocupação eles têm com o seu dinheiro. Basta olhar e apalpar para sentir que todas as notas circulantes parecem ter sido recém-impressas.

Onde é que eles guardam o dinheiro para evitar que se amarrote ou desgaste? Na Suiça, as notas são retiradas de circulação antes que uma mera lágrima as possa manchar. Um terço do papel-moeda é substituído todos os anos, o que custa cerca de 20 milhões de francos suíços.

Você pode estar perguntando: mas porque tal preocupação? Quem responde a essa pergunta é o tesoureiro do Banco Nacional Suiço. Diz ele:

“-A primeira coisa que se vê quando se chega a um país, é o seu dinheiro, e ele deve funcionar como uma carteira de identidade nacional”.

Assim sendo, eu pergunto:

“Qual será a impressão que um suiço tem quando, ao chegar em nosso país ele se depara com as nossas cédulas? Ele deve, no mínimo, ficar horrizizado, você não acha?

As notas de real acima são as novas cédulas que em breve estarão em circulação e, infelizmente, logo estarão devidamente amarrotadas e cheias de garranchos e frases imbecís! Infelizmente.

Razão tinha meu saudoso avô Henrique, que sempre dizia:

“-Mulher e dinheiro não se maltrata!”

Direto do YouTube: Pai atrapalhado

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O curta-metragem ‘I’ll get the ice-creams’ (“Eu pego os sorvetes”) mostra um pai que se atrapalha ao cuidar dos dois filhos enquanto a mãe sai para comprar sorvetes para as crianças. A animação foi produizda pela  BBC, canal de televisão da Inglaterra.

Assista ao vídeo!

Algumas “pérolas” da publicidade

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

* Pense grande. Você já ouviu falar de “Alexandre, o Médio?” (consultores de  empresas)

* As fitas não são virgens mas, hoje em dia, quem é? (Blockbuster)

* Nenhuma mulher quer um homem bom de pia. (Colchões Orthocrin)

* Beba-o com respeito. É provável que ele seja mais velho que você. (Conhaque Martell)

* Ame-os e deixe-os. (Creche em Minneapolis)

* Antes de dormir, não esqueça de apagar os insetos. (Inseticida Rodiasol)

* Quer que ele seja mais homem? Experimente ser mais mulher. (Lingerie Valisère)

* Quando uma menina vira mulher, os homens viram meninos. (Lingerie Valisère)

* Nossos clientes nunca voltaram para reclamar. (casa de serviços funerários)

* Não temos música ao vivo. Sorte sua. (Taco Del Maestro, restaurante mexicano)

* Não beba só uma. Bebavárias. (Cerveja Bavária)

Sabe qual é a verdadeira bravura?

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

A verdadeira bravura está em chegar em casa bêbado, de madrugada, todo cheio de batom, ser recebido pela mulher com uma vassoura na mão e ainda ter peito pra perguntar:

“-VAI VARRER ou VAI VOAR?”

Após os 48 anos de idade, os homens são mais felizes do que as mulheres.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Os homens tendem a se sentir mais felizes com suas vidas do que as mulheres, a partir dos 48 anos de idade, segundo um estudo publicado no Journal of Happiness Studies que examinou dados colhidos nacionalmente, nos Estados Unidos, durante décadas.

O nível de felicidade é medido através das aspirações e realizações em relação à vida familiar e financeira, ao longo do tempo.

Apesar de estarem mais satisfeitas com sua situação familiar e suas finanças no início da vida, o nível de satisfação das mulheres tende a diminuir com o tempo, enquanto o dos homens tende a aumentar, afirmam os pesquisadores Anke Piagnol – da Universidade de Cambridge – e Richard Easterlin – da University of Southern California.

Segundo os pesquisadores, um dos fatores que podem estar por trás desta “inversão” é o fato de as mulheres se casarem mais cedo, e com isso estarem mais satisfeitas com a vida familiar e financeira no início da fase adulta do que os homens.

O estudo analisou dados que mediram as aspirações e as realizações de mulheres e homens no casamento, vida familiar com filhos e no campo material, analisando finanças e bens de consumo considerados desejáveis para uma “vida ideal”, como carro, casa própria, casa de veraneio e férias no exterior, entre outros.

Os pesquisadores afirmam que tanto homens como mulheres têm forte desejo de um casamento feliz durante toda a vida. No início, as aspirações femininas são um pouco mais altas que as masculinas, mas com a idade, essas aspirações diminuem mais rapidamente entre as mulheres.

Aos 42 anos de idade, a proporção de mulheres que desejam um casamento feliz é inferior a dos homens e essa diferença tende a aumentar nos anos seguintes.

A vida familiar também é apontada como um fator mais importante para a felicidade feminina, mas elas demonstram estar menos satisfeitas com sua vida familiar do que os homens a partir dos 64 anos.

No campo financeiro, os homens estariam menos satisfeitos no início de suas vidas, mas a situação se inverte a partir dos 43 anos.

O que você pensa a respeito? Deixe aqui o seu comentário.

Experimente a porta do lado

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O médico Drauzio Varella disse que temos um nível de exigência absurdo em relação à vida, que queremos que absolutamente tudo dê certo, e que, às vezes, por aborrecimentos mínimos, somos capazes de passar um dia inteiro de “cara amarrada”.

Ele deu um exemplo trivial, que acontece todo dia na vida da gente. É quando um vizinho estaciona o carro muito encostado ao seu na garagem ou na vaga do estacionamento do shopping, por exemplo. Em vez de simplesmente entrar pela outra porta, sair com o carro e tratar da sua vida, você “bufa”, pragueja, esperneia e estraga o que resta do seu dia.

Esta história dos dois carros alinhados, impedindo a abertura da porta do motorista, é um bom exemplo do que torna a vida de algumas pessoas melhor, e de outras, pior.

Tem gente que tem a vida muito parecida com a de seus amigos, mas não entende por que eles parecem ser tão mais felizes.

Será que nada dá errado pra eles? Dá “aos montes”. Só que, para eles, entrar pela porta do lado, uma vez ou outra, não faz a menor diferença.

O que não falta neste mundo é gente que se julga o último “biscoito do pacote”. Que “audácia” contrariá-los! São aqueles que nunca ouviram falar em saídas de emergência: “fincam o pé”, compram briga e “não deixam barato”.

Seria “complexo de perseguição?” Justamente. O mundo está sempre contra eles!

Entrar pela outra porta, é incômodo, pois tem um freio no meio do caminho, porém, é um problema solúvel. E como esse, a maioria dos nossos “problemões” podem ser resolvidos rapidinho. Basta um telefonema, um e-mail, um pedido de desculpas, um “deixar barato”.

A “porta do lado” é a chave do mistério ou, se preferir, a fórmula da felicidade, a razão por que parece que tão pouca coisa na vida dos outros dá errado.

Por isso, quando os desacertos da vida ameaçarem o seu bom humor, não estrague o seu dia…Use a porta do lado.

A “porta do lado” pode ser uma boa entrada ou uma boa saída. Experimente!