Arquivo de fevereiro de 2011

“Bombando” na WEB: AMERICANAS.com é denunciada por tentar subornar clientes lesados

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Um vídeo que está circulando no YouTube mostra o que seria uma tentativa da varejista AMERICANAS.com de subornar um casal de clientes lesado pela empresa. O vídeo é o trecho do programa Cidadão JA, que faz parte da grade de programação da RBS, afiliada da TV Globo em Florianópolis.

A empresa, por meio de um e-mail assinado por uma funcionária da área de comunicação da B2W (controladora da AMERICANAS.com), teria oferecido R$ 3 mil de indenização pelos problemas causados na entrega de alguns móveis. A indenização, no entanto, seria entregue caso a reportagem com a reclamação não fosse ao ar no programa.

VEJA E TIRE AS SUAS CONCLUSÕES:

 NOTA DO BLOG:
Realmente, parece que a transportadora que trabalha para a AMERICANAS.com não é das mais modernas:

Presidenta, a senhora é vaidosa? “-Até que sou, mas um pouco distraída”.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Hebe Camargo perguntou a Dilma Rousseff se a presidente é vaidosa. Ela respondeu:

“Até que sou”, disse Dilma. Mas um pouco distraída. Por exemplo, muitas vezes ela coloca o brinco numa orelha –e se esquece de colocar na outra. Hebe caiu na risada.

As duas conversaram também sobre a luta contra o câncer –ambas passaram por tratamento entre 2009 e 2010. Concordaram que, depois que ficaram carecas pela quimioterapia, o cabelo voltou a crescer bem mais forte.

Dilma gravou uma participação especial que deverá ir ao ar no programa de estreia de Hebe na Rede TV!, em 15 de março.

O encontro foi no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência.

Fonte: FOLHA

Atos vergonhosos em destaque na internet

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Pode parecer que estamos vivendo em uma era desavergonhada, repleta de escândalos sórdidos e cobiça declarada. Mas a vergonha pode estar voltando à cena -ou pelo menos o ato de expor pessoas à vergonha pública.

Cada geração tem seus próprios vilões, mas os vilões de nossa geração podem ter mais dificuldade em esconder seus atos. Recentemente, atos suficientemente descarados para chocar mesmo em nossos tempos correm o risco de ser publicamente expostos, ridicularizados e provocar vergonha, graças ao equivalente, na moderna mídia social, da letra escarlate de Nathaniel Hawthorne.

No ano passado, na Inglaterra, uma mulher, Mary Bale (foto) que odeia gatos foi exposta no YouTube e no Facebook depois de abandonar um animal numa lata de lixo. Descoberta, foi multada oficialmente em US$ 400. On-line, contudo, sua punição foi a exposição ao ridículo público e a ameaças de morte.

Alguns anos atrás, na China, um vídeo exibido on-line de uma mulher de salto alto pisoteando um gatinho até a morte foi difundido, fazendo com que internautas indignados lançassem uma busca ferrenha pela malfeitora.

Como relatou o “New York Times”, ela pode ter sido apenas uma pessoa em uma nação de 1,3 bilhão de habitantes, mas a exposição intensa na web motivou o que os chineses chamam de busca por “carne humana”. Em apenas seis dias, um grupo enfurecido de “justiceiros” da web identificou Wang Jiao, de Luobei, na província de Heilongjiang. Ela foi demitida de seu emprego governamental, expulsa de sua cidade e obrigada a se esconder.

Em um nível prático, a nova vergonha pode fazer do mundo um lugar mais seguro. Brett Ligon (foto), promotor público de Montgomery, no Texas, vem postando no Twitter os nomes de motoristas que dirigem embriagados. “Há o fator do constrangimento, a ‘letra escarlate’ da polícia”, disse Ligon ao “Times”. “Se causar constrangimento a alguém é o que é preciso para impedir a pessoa de dirigir sob o efeito de álcool, sou totalmente a favor.”

Há também vantagens óbvias que surgem quando empresas temem a possibilidade de serem expostas à vergonha pública em blogs de consumidores. E o mundo do namoro pode ficar mais seguro quando pessoas deselegantes e de mau caráter (ou infratores sexuais violentos) são expostas no Facebook.

Mas algumas pessoas temem as consequências possíveis de a justiça das multidões ficar descontrolada na web, onde o tribunal da opinião pública cria suas próprias leis. É claro que existem certos atos reprováveis que sempre podem intensificar o efeito da vergonha. Um exemplo: trair seu cônjuge em sua própria casa.

Como relatou o “Times”, “mesmo em uma cultura sexualmente liberada, o lar é território proibido para praticar traições, como se fosse protegido por campo de força invisível. E o leito nupcial continua a ser objeto sagrado.”

Poucos relacionamentos sobrevivem a uma escapadela extraconjugal cometida na cama de um casal. A advogada de divórcios Susan Bender contou ao “Times” sobre uma esposa que descobriu que seu marido a tinha traído com a babá da família, em sua própria cama. Então, ela atraiu seu marido para fazer sexo. Mas, em lugar de completar o ato, ateou fogo à cama e o deixou para combater as chamas, nu.

O marido talvez tivesse podido processar a esposa, disse Bender. Mas o casal resolveu sua disputa fora do tribunal, sem alarde. O medo da vergonha pública foi grande demais.

Fonte: The New York Times

Como quase sempre acontece, um OSCAR previsível! O rei gago (O Discurso do Rei), dirigido pelo inglês Tom Hooper, levou os prêmios de melhor filme, direção, roteiro original e ator para Colin Firth, 50. Também sem surpresa nenhuma, Natalie Portman foi escolhida melhor atriz por “Cisne Negro”,

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

LIGUE O SOM, CLIQUE, ABRA A TELA E…CURTA.

“Estou de smoking, vou pisar no tapete vermelho, mas em cada momento estarei pensando em vocês. O Oscar é nosso”. Infelizmente, não é! Mas valeu, Tião!

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

“Não foi agora, mas a nossa comunidade teve visibilidade”, disse, em clima de luto, o líder comunitário do Jardim Gramacho Alexandre Freitas, conhecido como Gordin. Ao lado dele, oito irmãos do catador Tião e a Bateria Cem por Cento aguardavam, em cima do palco, o resultado da categoria melhor documentário do Oscar.

A estrutura foi montada na principal praça do bairro, em Duque de Caxias, que fica próxima ao lixão que serviu de cenário para o filme “Lixo Extraordinário”.

Quando, em Los Angeles, foi anunciado o prêmio para “Trabalho Interno”, amigos e parentes não esconderam o choro. Mas a bateria continuou tocando para que o evento não acabasse em lágrimas. “A festa continua”, disse Freitas.

Cerca de três mil pessoas compareceram ao evento idealizado por Tião, personagem do filme, que estava em Los Angeles na cerimônia.

A praça apinhada de botecos ganhou um palco com telão e cadeiras. Mas, desde o princípio da festa, o clima na plateia, formada por catadores, parentes e moradores da região, era morno.

O evento começou por volta das 19h, e teve apresentação de bandas de funk, pagode e a exibição de “Lixo Extraordinário”. O público começou assistindo ao filme atento, mas, no final, bocejava nos trechos em inglês, quando era preciso prestar atenção nas legendas.

Tião em hotel de Los Angeles alguns dias antes da entrega do Oscar

Uma mensagem gravada por Tião dias antes foi exibida no telão para injetar ânimo na torcida:. “Estou de smoking, vou pisar no tapete vermelho, mas em cada momento estarei pensando em vocês. O Oscar é nosso”.

A mais emocionada era sua mãe, Dona Gerusa, que chegou a passar mal e foi amparada por amigos.

Apresar da derrota, a presença de Tião entre os astros de Hollywood foi, por si, considerada uma vitória para a comunidade.

“Tudo o que ele fez foi para mostrar a nosso pai até onde poderia chegar. E ele estivesse vivo veria que o Tião é um vencedor”, disse Carla Simone dos Santos, 37, irmã do catador.

Fonte: FOLHA

ESTE PAÍS, REALMENTE, NÃO É SÉRIO!!!Depois de submetido a um teste para provar à Justiça Eleitoral que não era ANALFABETO, o deputado, cantor, compositor e humorista Francisco Everardo Oliveira Silva – o Tiririca – foi indicado, nesta sexta-feira, titular da Comissão de EDUCAÇÃO e CULTURA da Câmara.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

NOTA DO BLOG:

A notícia espalhou surpresa e desconsolo entre educadores.”É um retrato da sociedade que temos”, reagiu o professor Mozart Neves Ramos, da ONG Todos pela Educação.

“Acho lamentável”, acrescenta a titular de Pedagogia da Faculdade de Educação da Unicamp, Maria Márcia Malavasi. “Não por ele, mas porque há tantas outras pessoas com carreira, seriedade e currículo para essa missão.”

O mais grave, observou Mozart, é que este é um ano importante para as causas educacionais. “Temos um Plano Nacional de Educação a ser definido. Com ele, a Lei de Responsabilidade Educacional. A reforma do ensino superior, a questão das cotas.” Uma agenda “em grande parte técnica, que exige gente de preparo no setor”.

Marcia Malavasi, da Unicamp, esclareceu que não tem nada pessoal contra o deputado. “Não se trata de desmerecer as qualidades que ele possa ter. Mas é evidente que há uma inadequação entre o que ele representa e o tamanho dos desafios da educação brasileira.”

DEPUTADO TIRIRICA NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Charges: Sponholz

PINHEIROS, PAINEIRAS E PAULISTANO são 3 clubes paulistas que praticam, descaradamente, DISCRIMINAÇÃO!!! É uma desavergonhada CANALHICE!!!

domingo, 27 de fevereiro de 2011

O crachá deve estar sempre no pescoço e a roupa deve ser toda branca. Em alguns dos mais tradicionais clubes de São Paulo, não basta às babás apresentarem carteirinha, como os sócios. É preciso estar trajada de acordo com as regras.

É assim no Pinheiros, no Paineiras e no Paulistano, todos na zona oeste, cujos títulos chegam a R$ 25 mil.

No Pinheiros, algumas babás relatam que são cobradas a usar calçados fechados, mesmo em dias quentes. No Paulistano, é preciso usar ’sapatênis, sapatos ou tênis da mesma cor do uniforme’.

‘Acho discriminação’, diz a babá Silvana Santana, 36, que vai ao Pinheiros duas vezes por dia. Na semana passada, ela teve apreendida sua carteirinha (onde se vê escrito ‘acompanhante’) porque vestia bermuda jeans e blusa branca. Foi avisada de que só o patrão poderia retirar o documento.

Outra passou por uma ‘blitz de babás’ e teve a carteirinha retida, pois não usava branco. Ficou ‘constrangida e envergonhada.’

Sua empregadora, que preferiu não se identificar, afirma que ficou tão incomodada que enviou uma carta ao clube explicando que ela não usa uniforme em casa e pedindo que não tivesse de fazê-lo no clube. ‘Foi indeferido. Alegaram que é regra.’

Juliana Rodrigues, 25, também babá, diz que já lhe chamaram a atenção no Pinheiros porque sua blusa branca tinha ‘uma florzinha no canto’ e porque usava sandália ‘neste calor’.

Diz ainda ser proibida de ir ao restaurante acompanhada apenas das crianças e conta que um sócio já pediu que ela se levantasse de um banco perto da piscina.

O Pinheiros confirma que as babás só podem ir ao restaurante infantil.

Sócia do clube, a professora Nuria Carbó, 35, considera o uniforme discriminatório. ‘Passaram a vir de branco porque muitos sócios reclamaram da presença delas.’ Já Paula Krishnan, 37, também sócia, acha que a regra é uma forma de controle. ‘Assim como os funcionários do clube, [as babás também] têm identificação.’

O coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, Martim Sampaio, vê discriminação na exigência da roupa branca e, sobretudo, no veto ao restaurante.

‘O clube tem o direito de saber quem está adentrando a dependência, até por questão de segurança, mas a carteirinha basta para isso’, diz.

‘É um constrangimento ilegal a empregada ter que se vestir de forma diferenciada e é absurdo impedir que ela entre no restaurante. Ser obrigada a levantar do banco é um apartheid social.’

Segundo o Pinheiros, o clube tem 37 mil sócios e 1.500 acompanhantes de idosos, crianças e deficientes cadastrados. Eles devem apresentar crachá ‘e portá-lo em local visível durante a sua permanência no clube, como acontece com funcionários em qualquer organização’. Uniforme e crachá servem para identificação, diz.

Afirmou que algumas áreas possuem ‘regras específicas para acesso, podendo ser reservados exclusivamente aos associados’. Paineiras e Paulistano não se manifestaram.

Fonte: FOLHA