Posts com a Tag ‘briga’

Pensamento do dia: “PARA MIM, AQUILO É BRIGA DE RUA. O CARA JOGA O OUTRO NO CHÃO E BATE ATÉ SANGRAR. SE O JUIZ NÃO SEPARAR, MATA O CARA”. (Maguila, ex-pugilista falando sobre as lutas como o UFC)

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

NOTA DO BLOG:

Concordo em gênero, número e grau com o Maguila. E você?

O que é melhor, ser feliz ou ter razão?

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Oito da noite numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de alguns amigos. O endereço é novo, assim como o caminho, que ela conferiu no mapa antes de sairem de casa.

Ele dirige o carro. Ela o orienta e pede para que vire na próxima rua à esquerda. Ele diz que tem certeza que é à direita. Discutem.

Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mal humorados, ela deixa que ele decida.

Ele vira a direita e percebe que estava errado. Ainda com dificuldade, ele admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno.

Ela sorri e diz que não há problema algum em chegar alguns minutos mais tarde. Mas ele ainda quer saber:

“-Se você tinha tanta certeza de que eu estava tomando o caminho errado, deveria insistir um pouco mais”.

E ela diz:
“-Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos a beira de uma briga, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite”.

Esta pequena história foi contada por uma empresária durante uma palestra sobre simplicidade no mundo do trabalho. Ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independente de tê-la ou não.

Eu pergunto a você, meu amigo, minha amiga:

“-Você quer ser feliz ou ter razão?”

Pense nisso e seja feliz!

A Rede Record acusa Waldemiro Santiago, que se auto-denomina apóstolo, de desvio de dinheiro de fiéis para enriquecimento pessoal. Para rebater ataques sofridos por seu líder, a emissora defende Edir Macedo, o dono da Record. Mas não cita, claro, que esse bispo também adquiriu e montou a segunda maior emissora do país com dinheiro de origem semelhante à que Valdemiro comprou suas terras: o bolso dos fiéis. É BRIGA DE CACHORROS GRANDES!!!

terça-feira, 20 de março de 2012

NOTA DO BLOG:

Como foi dito acima, trata-se, LITERALMENTE, de uma briga de  “cachorros grandes“.

Record compra briga com evangélicos no “Domingo Espetacular”

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Uma reportagem exibida pela Record no domingo (13) comprou uma “briga santa”.

O “Domingo Espetacular” fez uma reportagem especial sobre o “cair no espiríto”. Trata-se de uma prática religiosa em que alguns fiéis ficam imóveis e comandados por líderes religiosos, caem no chão e se debatem em transe, todos ao mesmo tempo. O movimento, que ganha adeptos em todo o mundo, já foi amplamente criticado pelo bispo Edir Macedo, da Igreja Universal.

Conhecida também como movimento do “cai cai”, a prática ganhou 40 minutos de destaque no “Domingo Espetacular” e chegou a registrar 15 pontos de audiência durante a sua exibição. A média geral do programa foi de 12 pontos. Cada ponto equivale a 58 mil domicílios na Grande SP.

Para ilustrar a longa reportagem, o programa utilizou várias imagens de internet, recentes e antigas. O movimento do “cai cai” é discutido por evangélicos pentecostais e tradicionais há muitos anos. Mas a reportagem da Record chamou a atenção pelo tom sensacionalista.

Um dos fiéis entrevistados diz que se arrependeu da prática, que foi enganado e que as pessoas que estão nela seguem “ensinamentos satânicos”.

Ao longo da reportagem, várias entidades evangélicas, principalmente as pentecostais, começaram a se manifestar na internet. Fiéis deixaram a Record em primeiro lugar no Twitter, por conta das diversas críticas ao “Domingo Espetacular”.

O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, chamou a reportagem de “palhaçada” no Twitter e prometeu responder em seus programas na TV.

O portal “Diante do Trono” publicou um extenso texto criticando a Record e Edir Macedo pela reportagem, dizendo que o “bispo usa todas as armas para convencer as pessoas de seus argumentos”.

Procurada, a Record diz que foi apenas uma matéria jornalística sobre assunto.

Você é a favor da Record abordar o tema?

CONFIRA A REPORTAGEM (se tiver paciência e tempo para isso):

Fonte: Folha

Filme “pastelão”? NÃO!!! É julgamento de homicídio. LAMENTÁVEL!!!

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Imagens da sessão de julgamento de um réu acusado de homicídio mostram que o advogado que apanhou de um promotor durante essa audiência, no 3º Tribunal do Júri de São Paulo, revidou as agressões verbais dele. A troca de agressões (morais e físicas) duraram quase dois minutos.

A juíza Patrícia Inigo Funes e Silva suspendeu a sessão alegando que o promotor agrediu o advogado.

Durante o interrogatório do manobrista Roberto de Moraes Andrade, o promotor reclamou da forma que o advogado estava fazendo suas perguntas. O defensor respondeu dizendo que não estava ali para agradá-lo, mas para defender seu cliente, o réu Andrade.

A partir de então, começou a troca de xingamentos.

ASSISTA.

NOTA DO BLOG:

RESPONDA RÁPIDO:

ESTE PAÍS É SÉRIO?

Zeca Pagodinho vai custar caro para a agência que o “sequestrou”.

terça-feira, 7 de junho de 2011

A estratégia da agência Africa de aliciar o cantor Zeca Pagodinho, então garoto-propaganda da cerveja Nova Schin, para estrelar as campanhas da Brahma, em 2004, rendeu uma condenação por concorrência desleal.

Em uma decisão de segunda instância publicada no dia 31 de maio, o Tribunal de Justiça de São Paulo deu ganho de causa à agência Fischer América, que na época detinha a conta da Nova Schin.

O valor da causa ainda terá de ser estabelecido pela Justiça. O advogado Sérgio Bruna, que representa a Fischer, estima algo como R$ 20 milhões.

A Fischer pode reclamar perdas pelo maior critério entre o valor perdido com o cancelamento da campanha com Zeca Pagodinho ou os ganhos obtidos pela Africa, que até hoje trabalha com o artista.

Porém o TJ negou à Fischer o direito de indenização por dano moral (ganho em primeira instância) e a tentativa de responsabilizar Nizan Guanaes como pessoa física.

Procurada, a Africa disse que a decisão “não é definitiva e que cabe recurso”. O advogado da Fischer afirma que, neste momento, a Africa pode recorrer para tentar anular a sentença, mas não para modificar a decisão.

Fonte: Folha

NOTA DO BLOG:

Dizem as más línguas que na gravação para a Nova Schin (foto ao lado), a cerveja no copo era Brahma. Será verdade?

Em 15/08/2009, a revista ÉPOCA publicava:

“Já ia pela metade a segunda noite de show de Zeca Pagodinho no Credicard Hall, em São Paulo, no dia 14 de fevereiro. Balde de gelo ao lado, ele convocou a platéia: ”Daqui a pouco paramos para tomar umas bramas”. Zeca jura que usou brama como sinônimo de cerveja, mas no mundo publicitário vale o que se ouve e o que se vê.

Pagodinho, comprometido com a rival Schincariol, diz que foi procurado nos camarins por irritados representantes da companhia.

Era o começo do fim do casamento do compositor com a cervejaria de Itu. ”Nessa hora eu senti a pressão”, disse o cantor, cansado de se sentir vigiado, conforme contou a ÉPOCA.  Já estava em andamento uma operação secreta para fazer Zeca Pagodinho virar a casaca, que culminou no filme de um minuto levado ao ar na sexta-feira 12 sem nenhum aviso prévio à Schincariol ou a Eduardo Fischer, da Fischer América, responsável pela campanha Experimenta.

O sambinha ”Amor de Verão” anunciava que Pagodinho voltava para sua cerveja preferida, a Brahma“.

PENSAMENTO DO DIA: “Fui eu quem escolheu as alianças do meu casamento. Bem grossas e pesadas, para durarem eternamente. Mas justamente por esse simbolismo, cada vez que brigo com Dave, sinto-as como se fossem algemas e, na hora da raiva, jogo-as na privada e puxo a descarga”. (Carmen Miranda)

sábado, 5 de março de 2011

                                             CARMEN MIRANDA

Delegado bate em cadeirante em briga por vaga especial em SP

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Um advogado cadeirante apanhou de um delegado em São José dos Campos (91 km de São Paulo), em briga por estacionamento em vaga pública reservada para pessoas com deficiência.

O advogado Anatole Magalhães Macedo Morandini, 35 (foto ao lado), diz que foi agredido com coronhadas.

Já o delegado Damasio Marino, por meio de seu advogado, afirma que não o bateu com arma de fogo, mas que lhe deu “dois tapas”.

A briga começou quando Morandini flagrou o delegado, que não tem deficiência, estacionado na vaga especial, em frente a um cartório na região central de São José, e foi tomar satisfações.

“Ele [delegado] me chamou de aleijado filho da puta. Eu fiquei enojado, e a única coisa que consegui fazer foi cuspir no carro dele, porque me senti desrespeitado.”

Ainda segundo Morandini, o delegado do 6º Distrito Policial da cidade, além de lhe dar coronhadas, também bateu em seu rosto com a ponta da arma.

Ele mostrou à reportagem uma camiseta com manchas de sangue, que diz ser consequência da agressão. Uma funcionária do cartório também diz que viu Morandini sangrando após a briga.

“Ele apontou a arma, fez mira. A única coisa que eu fiz foi virar o rosto devido ao trauma que já tenho”, contou o advogado, referindo-se ao tiro que levou durante um assalto, aos 17 anos, e que o deixou paraplégico.

Já o defensor do delegado diz que ele é que foi intimidado e que estava parado na vaga especial porque sua mulher está grávida.

A corregedoria da Polícia Civil abriu inquérito para apurar a suspeita de lesão corporal dolosa (quando há intenção ou se assume o risco de cometer o crime).

NOTA DO BLOG:

Você já deve ter presenciado situações como a descrita, inúmeras vezes, nos estacionamentos dos bancos, casas comerciais, shopping centers, ruas, avenidas, etc.

São os  “folgados” que, com a maior “cara de pau”, estacionam o seu veículo nas vagas destinadas aos deficientes idosos.

Infelizmente, a palavra cidadania é desconhecida por uma imensa maioria de pessoas.