Posts com a Tag ‘título’

Veja as despesas de alguns senadores no ano de 2012, pagas pelo povo

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

A título de informação, divulgo as despesas do ano de 2012 dos valentes e covardes que estiveram mais em foco por ocasião da eleição de RENAN à presidência do Senado.

PEDRO TAQUES se serviu do erário público em, R$ 235.777,00;

RENAN CALHEIROS, resgatou do Tesouro Nacional para indenizá-lo em seus gastos, a quantia de, R$ 305.895,00;

O caras e bocas FERNANDO COLLOR, um perdulário, utilizou-se da quantia de, R$ 403.554,00;

O senador PAULO PAIM,  um enganador e mentiroso, subtraiu dos cofres do Brasil a importância de, R$ 369.641,00.

Como podemos perceber, a casa dos senadores é pródiga e ilimitada em esbanjar DINHEIRO PÚBLICO com seus moradores, meros aproveitadores das delícias que a função lhes possibilita, sem controle, fiscalização, e ausência de uma salutar auditoria que deveria ser feita nota por nota apresentada!

O mais escandaloso são as despesas com locação de veículos, um disparate!

Duvido que, uma análise mais detida e criteriosa sobre este esbanjamento DESONESTO suportasse uma comparação de preços em qualquer locadora existente, tanto na diária quanto no km rodado.

Eu gostaria muito de saber os nomes dessas empresas e seus LEGÍTIMOS PROPRIETÁRIOS, não os aparentes para o povo, de modo que se constatasse quem são eles e, se coincidentemente, não haveria algum vínculo que fosse com suas excelências, como tenho esta curiosidade, confesso.

Igualmente, uma pequena conta com relação ao consumo de combustível desses carros locados.

Tenho a impressão que muitos gastam mais que Fórmula 1 1 em corrida, ou seja, DEZ LITROS POR QUILÔMETRO!

E VIVA O BRASIL!  E SALVE O POVO BRASILEIRO!

por Francisco Bendl

Pergunta do dia: Os torcedores do Santos que nos perdoem, mas o que fez Neymar por São Paulo, para merecer o título de “Cidadão Paulistano”? ALGUÉM SABE?

quarta-feira, 9 de maio de 2012

NOTA DO BLOG:

Infelizmente,  valorizamos as pessoas segundo o seu grau de celebridade. Mereceriam receber o título de Cidadão Paulistano, aqueles que ajudaram e os que ajudam a construir a grandeza deste pujante estado.

A França condecora um Lula imaginário

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Luiz Inácio da Silva foi condecorado na França. O título de doutor honoris causa, concedido ao ex-presidente brasileiro pelo Instituto de Ciências Políticas de Paris, tem valor especial: em 140 anos de existência da prestigiada instituição, apenas 17 pessoas receberam a homenagem.

Para os intelectuais franceses, Lula é o homem do povo que dobrou as elites, o ex-operário que superou a ignorância para salvar os pobres. Só quem não superou a ignorância, pelo visto, foram os cientistas políticos parisienses.

Lula não é o único mal-entendido dos luminares europeus. Instituições de alto nível como Sorbonne e London School of Economics estão cheias de pensadores com teorias incríveis sobre heróis do Terceiro Mundo.

Essas usinas de bondade à distância fazem cabeças no mundo inteiro. Notáveis como o escritor José Saramago e o cineasta Oliver Stone depositaram seus sonhos revolucionários em Hugo Chávez, em defesa dos fracos. O herói bolivariano afundou a Venezuela e espalhou o autoritarismo populista pela América do Sul. Mas esses detalhes não arranham a ética dos notáveis.

Os intelectuais franceses ovacionaram Lula. Especialmente quando ele se declarou o primeiro presidente brasileiro a não governar para os ricos, demonstrando “que um metalúrgico sem diploma universitário podia fazer mais do que a elite política do Brasil”.

Lula fez mais – até porque soube, como ninguém, se apropriar do que os outros fizeram. A redução da desigualdade no Brasil nasceu de um plano econômico que Lula tentou afundar a todo custo.

Eleito presidente, jogou suas teses de ruptura no lixo e surfou na política monetária do antecessor. O Instituto de Ciências Políticas sentiria náuseas se alguém lhe informasse que o poder de compra dos pobres foi elevado por um “neoliberal”. O humanismo fashion dos franceses não suportaria esse golpe.

                                                Instituto de Ciências Políticas de Paris

Eles têm razão. O enredo do coitado que vira salvador da pátria é muito mais excitante do que a história real, que só existe para atrapalhar os teóricos da bondade. Condecorar um Lula da Silva como herói é um verniz e tanto para acadêmicos e artistas do Primeiro Mundo.

No texto da revista Time que lançou Lula como celebridade internacional em 2010, o cineasta panfletário Michael Moore explicava que o brasileiro se tornou um dos mais influentes do mundo por ações como o Fome Zero. O fato de esse programa ter morrido de inanição não interessou ao justiceiro de Hollywood.

Para fazer “mais do que a elite política”, o metalúrgico sem diploma fundou sua própria elite política. Apinhou o aparelho de Estado com sindicalistas e correligionários, mostrou com quantos cargos se constrói uma rede de lealdades. Sua “elite política” montou um duto entre os cofres públicos e seu partido, no mais ousado esquema de corrupção já visto neste longínquo país tropical.

Quase quatro dezenas de aliados do doutor honoris causa aguardam julgamento por esse escândalo sem precedentes. Mas deve ter havido algum problema na tradução de “mensalão” para o francês.

A canonização de Lula é um diploma de futilidade das elites intelectuais europeias e americanas. Mas isso é problema delas. O problema do Brasil é o bombardeio propagandístico que vai eternizando no poder um projeto político dedicado a uma causa soberana: permanecer no poder.

Os mitos vão aniquilando a crítica. Dilma Rousseff, a primeira mulher, que sucedeu ao primeiro operário, é capa da revista Newsweek, apresentada como uma comandante implacável com a corrupção. O fato de que todos os focos de corrupção “combatidos” por Dilma tenham provindo da nova elite política que a elegeu, e de que Lula tenha convidado os denunciados a resistir com “casco duro” em seus cargos, também não teve tradução para o inglês.

Pelo visto, nem para o português. As pesquisas eleitorais para 2014 revelam que o Brasil quer uma doutora honoris causa em Paris.

Autor: Guilherme Fiuza (Época)

A “devoradora de livros” só não consegue lembrar o título e o autor do que acabou de ler.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Na fantástica entrevista ao Fantástico, Dilma Rousseff contou que seu recanto preferido no Palácio da Alvorada é a biblioteca. E voltou a jurar que é apaixonada por livros. Já anda lendo até no iPad, mas prefere os convencionais porque o cheiro de papel lembra a infância.

Pena que não consiga lembrar o título e o autor do que acabou de ler, como comprova o antológico palavrório gravado em abril de 2010. Não deixe de ver, no mesmo vídeo, dois dos melhores momentos da Era da Mediocridade.

Autor: Augusto Nunes

Lula receberá seu sexto título de Doutor Honoris Causa

sexta-feira, 29 de julho de 2011

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva receberá seu sexto título de Doutor Honoris Causa, desta vez pela universidade francesa Sciences Po.

A cerimônia de outorga será em 27 de setembro, na França. De acordo com nota distribuída pela assessoria de imprensa do ex-presidente, Jean-Claude Casanova, membro do Instituto da França e presidente da Fundação Nacional das Ciências Políticas, afirma que o título é uma homenagem aos brasileiros.

“Essa láurea, mais do que um reconhecimento pessoal, é uma homenagem ao povo brasileiro, que nos últimos oito anos realizou, de modo pacífico e democrático, uma verdadeira revolução econômica e social”, ressaltou o ex-presidente. 

Desde que deixou a Presidência da República, Lula foi laureado pela Universidade Federal de Viçosa (foto) (UFV), pela Universidade de Coimbra, e pelas universidades de Pernambuco (UPE), Federal de Pernambuco (UFPE) e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

NOTA DO BLOG:

Deve-se ressaltar que, dos cinco títulos recebidos, 4 são de universidades brasileiras, sendo 3, do seu estado natal (Pernambuco). De qualquer forma, parabéns Doutor Luiz Inácio.

Pensamento do dia: “…Desejo que Lula, que esqueceu as antiquadas posições contra as privatizações, continue usufruindo das oportunidades que as empresas multinacionais lhe oferecem, como agora em Londres. E desejo, principalmente, que Lula termine com a lenga-lenga contra ler muito e ter graus universitários, pois não precisa mais ter complexos. Virou ‘doutor’”. (Fernando Henrique Cardoso)

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Lula recebendo o título de doutor honoris causa pela Faculdade de Direito de Coimbra        

O ex-presidente Lula recebe, pela primeira vez, um título de doutor honoris causa, em Viçosa (MG).

Lula recebeu em Portugal o título de “DOUTOR HONORIS CAUSA”

quinta-feira, 31 de março de 2011

Charge: Sponholz

NOTA DO BLOG:

Aleluia envia carta ao reitor de Coimbra contestando título de doutor dado a Lula

Professor universitário, presidente da Fundação Liberdade e Cidadania e vice-presidente nacional do Democratas, o ex-deputado José Carlos Aleluia , enviou carta ao Reitor da Universidade de Coimbra, João Gabriel Silva, contestando a entrega do título de ´Doutor Honoris Causa` ao ex-presidente Lula. “Tomando como referência o significado que tem, para nós brasileiros, a Universidade de Coimbra, entendo que a iniciativa destoa aberta e completamente de toda a sua tradição”, diz. Para ele, “a concessão do mencionado título contraria frontalmente toda a idéia que nós fizemos da Universidade de Coimbra, pelo fato, sobejamente conhecido, de que o ex-Presidente sempre se vangloriou de não haver freqüentado qualquer curso”. Para ele, Lula “notabilizou-se por institucionalizar a corrupção, alegando inclusive tratar-se de fenômeno arraigado, que não lhe competia combater”.

Fonte: Claudio Humberto